Nomenclaturas Nikon

AI (Aperture Indexing – Indexação de Abertura)

Lançado oficialmente pela Nikon em 1977, trata-se de um sistema de lentes que permitem comunicação através de um contato mecânico, informando o corpo da câmera os valores de abertura. Essas lentes são identificadas por uma lingueta de metal fixada na parte superior do anel de abertura da lente. Trata-se de uma lente sem focagem automática. O foco é feito apenas de forma manual.

AI-S (Aperture Indexing – Indexação de Abertura)

Uma variação das lentes AI para o mount F da Nikon. Esse padrão mantém total compatibilidade de encaixe. Foi lançado em 1982. Essas lentes são basicamente as lentes AI com com adição de suporte para novas automações, como transmissão de abertura linear e modo programado para velocidade de disparo (P).

AF (Auto Focus – Foco Automático)

Lançada em 1992, foi a primeira linha de lentes Nikon com focagem automatizada. A lente da câmera foca automaticamente a imagem em uma parte selecionada do quadro ou objeto. A maioria dos corpos das câmeras permitem que você decida os lugares de foco exatos, geralmente pressionando o disparador até a metade. Essas lentes não possuem motor de foco, portanto para funcionar o AF, é necessário que sejam instaladas em um corpo Nikon que possua motor de foco. Funcionam perfeitamente em câmeras mais antigas, por possuir anel para controle de abertura, mas vale ressaltar que a focagem continua sendo feita de forma manual.

AF-S (Build in Auto Focus Motor – Motor de Auto Foco Incorporado)

Essa lente AF foi lançada em 1996 e já vem com um motor de foco embutido, além de um motor de ondas silenciosas “silent wave” integrado. Possui focagem bem mais rápida e silenciosa do que as lentes AF anteriores. Funcionam perfeitamente em corpos mais novos, onde pode-se controlar a abertura por eles. Em relação ao AF, é uma lente essencial para corpos que não possuem motor de foco (D40, D40x e D60) e não funcionam a contento em câmeras mais antigas, por não possuir anel de abertura mecânico, fazendo com que nestes corpos elas atuem sempre em sua menor abertura (já que é controlada apenas eletronicamente).

AF-D

Uma das variações da linha de lentes Nikon auto foco “mount F”.

D/G (Distance information – Informação de Distância)

As objetivas AF tipo D/G informam a distância entre a câmera e o assunto ao corpo da câmera Nikon. Com essas informações em mãos, tornou-se possível avanços na fotometria matricial 3D (3D matrix) e no sensor de flash, permitindo preenchimento mais correto e muito mais equilibrado. As lentes G não possuem anel de controle da abertura, o que impossibilitam seu uso com câmeras manuais antigas.

DX (For Digital SLR APS sensor – Para corpos de SLR digitais com fator de corte)

São as lentes Nikkor AF projetadas exclusivamente para serem usadas em câmeras SLR digitais da Nikon, utilizando o fator de corte 1.5x característico da marca. As lentes DX são mais compactas e leves que as Nikon padrão (FX) e isso acontece porque elas não necessitam cobrir o tamanho de um sensor fullframe, já que sua área de utilização é menor. Não devem ser utilizadas em corpos Nikon full frame e 35mm, justamente por não conseguir garantir cobertura total do fotograma. Foi criado para ser usado nas digitais D40, D50, D60, D70, D80, D90, D100, D200, D300, etc).

FX (lens for full frame body – Lentes para corpos padrão 35mm)

Ao contrário das lentes DX, são as lentes projetadas para o padrão 35mm, por conseguir cobrir toda a área de um sensor neste formato. São lentes para operação em câmeras 35mm AF, além das digitais D3x, D3, D700, etc).

ED (Extra-Low Dispesion Glass – Elemento ótico extra de baixa dispersão)

Oferece ganhos em nitidez e reprodução de cores, minimizando muito as aberrações cromáticas. Os elementos óticos ED trazem todos os benefícios de lentes feitas a partir do cálcio fluorite, mas sem suas fragilidades. A Nikon desenvolveu vários tipos do elementos óticos ED, que são usados de acordo com a com a conveniência das objetivas produzidas. Em suma são os elementos de melhor qualidade da marca e equipam as melhores e mais caras objetivas que ela produz.

ASF (Aspherical Lens Elements – Elementos de Lente Asféricos)

A lente possui elementos asféricos no seu design ótico, que por sua vez eliminam anomalias e outros tipos de aberrações de lente, usando complexas curvas nos elementos que compõem o seu design.

CRC (Close-Range Correction System – Sistema de Correção de Variedade de foco)

Promove uma qualidade superior de focagem em distâncias próximas e quando essa distância variável vai aumentando. Com o sistema CRC, os elementos são configurados na objetiva em um design flutuante, onde cada grupo de lentes se movem de forma independente para realizar o trabalho de foco. Isso assegura uma performance de focagem superior quando precisa se alternar entre uma focagem próxima e outra distante. O sistema CRC é bastante utilizado em lentes olho-de-peixe (fisheye), grande angulares, macro teleobjetivas médias da Nikkor.

IF (Internal Focusing – Focagem Interna)

Lentes com essa característica podem fazer focagem sem precisar ter o seu tamanho alterado. Todo o movimento ótico é feito de maneira interna, não precisando estender ou diminuir o barril da lente. Isso garante uma construção mais leve e compacta, já que seus elementos de focagem são menores e inclusive mais rápidos.

DC (Defocus Control Lens – Lente de Controle de Desfocagem)

A Nikon apresenta em suas lentes AF DC uma interessante tecnologia exclusiva de controle de desfocagem na lente. Ela permite que fotógrafos controlem o grau da aberração esférica no primeiro plano ou no plano de fundo, bastando apenas girar o anel DC da lente. Essa alteração criará nas áreas fora de foco um bokeh forte e acentuado, ideal para destacar o assunto nas fotografias de retrato.

RF (Rear Focusing – Focagem Traseira)

Os elementos óticos são divididos em grupos específicos da lente. No sistema RF, apenas o grupo de elementos traseiros se movem para a focagem. garantindo a operação de auto-focagem muito mais lisa e rápida.

VR (Vibration Reduction – Redução de Vibração)

Minimiza a falta de nitidez na das imagens, causadas pelo tremor da câmera em baixas velocidades de disparo. Permite ao fotógrafo trabalhar com até 3 velocidades (f/stops) abaixo da recomendada, sem risco de foto sair tremida. A lente possui sensores que detectam automaticamente os tremidos do fotógrafo e corrige o disparo através de motores próprios. É uma característica interessante principalmente para as teleobjetivas (onde é mais fácil sair fotos tremidas) e que também deixam a lente um tanto mais cara.